quinta-feira, 3 de agosto de 2017

O mistério do sangue RH Negativo, cuja origem é desconhecida




Posted by Thoth3126 on 02/08/2017
É reconhecido que os fatores sanguíneos são transmitidos à descendência com mais exatidão do que qualquer outra característica humana ou animal. 

Não é conhecido de onde derivou o fator RH negativo, embora existam evidências tentadoras que sugere ser fruto de uma experimentação(alienígena?) genética um pouco mais de 5.000 anos atrás.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

O mistério da origem do tipo de sangue com fator RH negativo, sua origem genética é desconhecida

GRUPOS DE SANGUE – Visão geral – Publicado por Nella Adriana Čorak-Šebetić


Quase 85% de todos os seres humanos têm sangue fator RH positivo. O que apenas indica que seus glóbulos vermelhos contêm uma substância chamada fator de sangue RH (acrônimo de RHesus). Simplificando, seu sangue positivo contém uma proteína que pode ser ligada ao macaco Rhesus

É reconhecido que os fatores sanguíneos são transmitidos com mais exatidão do que qualquer outra característica humana ou animal. Não é geralmente conhecido de onde derivou o fator RH negativo, embora existam evidências tentadoras que sugere ser fruto de uma experimentação (alienígena) genética um pouco mais de 5.000 anos atrás.


A maior concentração de sangue de fator RH negativo ocorre nos povos bascos do norte da Espanha e do sul da França e nos judeus (Khazares) do leste europeu e orientais. Apenas 15% da população do mundo inteiro é conhecida por ter fator de sangue RH negativo. Embora se saiba que o sangue tipo ‘O’ e RH negativo é o sangue mais puro conhecido pela humanidade, não se sabe de onde o fator negativo se origina, pois é geralmente teorizado pelos evolucionistas que existe uma linhagem ininterrupta de Protótipos humanos precoce (pré-humanos) para os seres humanos atuais. 

Como mencionado anteriormente, seres humanos do tipo sangue “Rh negativo” indica que não existem conexões protéicas com o macaco Rhesus, enquanto que o sangue “RH positivo” têm esse fator RH e possui conexão com os macacos Rhesus. Assim, se todos os seres humanos evoluíssem dessa linha, todos teriam que apresentar esse mesmo fator RH. Obviamente, esse não é o caso. Portanto, deve ter havido algum tipo de intervenção genética que deu origem a grupos sanguíneos Rh-negativos.

O tipo de sangue ‘O’ é o mais comum dos grupos sanguíneos. Quando separamos os tipos ‘O’ em ‘negativo’ e ‘positivo’, descobrimos que o tipo ‘O’ negativo (o sangue do doador universal) constitui menos de 7% da população mundial. A ciência neste momento está tentando criar um sangue sintético com fator RH negativo do tipo ‘O’, mas sem sucesso. Pois, enquanto a proteína do sangue positivo pode ser clonada, a do sangue negativo não pode – o que é bastante interessante e pode ser indicativo de uma origem alienígena, extraterrestre ou mais provável, da experimentação genética precoce durante anteriores civilizações humanas mais avançadas.

Macaco RHESUS, “parente” de cerca de 85% da “humanidade”

Se o fator negativo de RH não deriva de qualquer ligação terrestre conhecida (aparentemente fora do processo evolutivo teorizado) – de onde ele se originou? Como ele surgiu? Os progenitores geralmente afirmam que o fator RH-negativo é uma Mutação de origem desconhecida que aparentemente aconteceu há apenas alguns milhares de anos. Essas pessoas de sangue “negativo” espalharam-se fortemente na área do que é agora Espanha, Inglaterra, Irlanda, França e mais tarde nas Américas, Canadá e Austrália. Os povos bascos têm a maior concentração de conhecidos sangues ‘O’ negativos hoje, porque, em sua maior parte, se limitaram a uma área, enquanto o povo celta se expandiu entre todo o NOVO (as Américas) MUNDO. 

O QUE A AUSÊNCIA DO FATOR DO MACACO RHESUS SIGNIFICA?

Não existe nenhuma explicação científica sólida sobre como ou por que o sangue de Rh negativo surgiu. Presume-se que é o resultado de uma mutação aleatória. Você já sentiu que você era estranho ou diferente? Pode ser devido ao seu DNA … 85% dos seres humanos têm o gene do macaco rhesus (tem RH+) e 15% não tem essa conexão (são RH-) e talvez tenham um gene alienígena-extraterrestre em vez disso. 

As pessoas com fator RH negativo são caracterizadas por ter QIs mais elevados, visão sensível, baixa temperatura corporal, sensibilidade ao calor e à luz solar, poder psíquico, capacidade de parar os relógios e desligar aparelhos elétricos e ter vértebras extras. Estes fatos explora a possibilidade de que fomos criados como uma raça escrava para o trabalho por seres extraterrestres, uma vez que 97% do nosso código genético está desativado, com apenas 3% funcionando.

O SANGUE COM FATOR RH NEGATIVO

Curiosamente, as crenças populares se esforçam para atribuir grupos sanguíneos Rh-negativo a “mutações”. Um caso alternativo sólido pode ser estendido até a conclusão de que o sangue fator Rh-negativo NÃO é uma mutação, mas possivelmente o grupo original sanguíneo da raça humana. Isso, no entanto, não reflete o pensamento predominante e, portanto, também nunca foi pesquisado adequadamente.


Que havia um grupo de seres humanos “puros”, não diretamente relacionados aos processos evolutivos na Terra, é uma possibilidade distinta. Esse raciocínio sugeriria que os seres humanos originais em nosso planeta, os que não estavam diretamente relacionados com os macacos (Rhesus), mas que em algum momento foram “MADE”(fabricados) ou seja “geneticamente modificados” por “alguém”.

Talvez nunca tenha sido pretendido que os seres humanos resultantes dessa experiência genética, os Rh+positivos se tornassem a espécie dominante no planeta. Que através de uma época ainda indeterminada, o grupo geneticamente (os Rh+ positivos) descendentes de macacos gradualmente se tornou a espécie controladora, com exceção de vários enclaves remotos, e iniciou um pogrom genocida abrangente, eliminando efetivamente aqueles que lhes deram à luz. Todas essas hipóteses levam a mais perguntas: quais foram os motivos para surgir uma sub-espécie, qual foi o processo de conquista, qual foi a duração e se ela continua?

CONSPIRAÇÃO DE TIPOS DE SANGUE E FATOR RH 

Itens da Comunidade Cientifica 

Aqui estão algumas curiosidades sobre essas coisas sobre o sangue. Em TODOS os grupos sanguíneos, existe um micróbio comum que, em essência, é a FORÇA VITAL. Durante os experimentos realizados pela nossa equipe, aquecemos o sangue a 700 graus F e também o colocamos em Nitrogênio Líquido. Este micróbio que é visível apenas com um microscópio de campo escuro altamente modificado que foi feito sob medida para nós ainda estava VIVO. Nós também testamos isso com “poeira de múmia”. Este microbio ainda estava vivo depois de 5000 anos, mais ainda, pois quando o pó da múmia é colocado em uma solução perfeita de pH, ele retorna à “vida”.

O (Reptiliano) Draco com o sangue “O” e fator RH- tem propriedades únicas por causa da polaridade das células sanguíneas. O sangue é baseado elétrica / magnética / químicamente. A relação entre os três deve ser mantida em um equilíbrio de PH específico de 7.0 a 7.2. O problema com os sistemas de sangue “O” fator RH negativo é este, o estômago tem muito ácido nele para uma digestão adequada, então eles tiveram que recorrer para obter os minerais ATRAVÉS DA PELE, aka sentando em uma banheira cheia com uma solução de minerais (Osmose)’.

Depois de gerações deste tipo de alimentação, os sistemas digestivos deixaram de funcionar corretamente. É por isso que os grupos sanguíneos tipo “O” têm tantos problemas com ‘indigestão’. Está em seus genes devido a essa influência reptiliana Draco. Atualmente, estou juntando uma referência geográfica à colocação de quantas pessoas carregam esse código genético no sangue deles. 

NUNCA TOME UMA TRANSFUSÃO DE SANGUE 

A principal razão para isso tem a ver com a memória celular / genética / galáctica do sangue. Isso é codificado em toda a estrutura do sangue. Todas as emoções que o doador sentiu durante toda a sua vida são parte do sangue. Isso não pode ser filtrado. Por exemplo, se você tiver um coração de um homem que morreu em um acidente de carro, todas as células desse órgão têm a memória do acidente e de todas as emoções que ele sentiu ao morrer. Essas emoções confundem sua própria codificação e, em seguida, ocorre confusão interna em massa no nível celular e a ordem se transforma em caos. Nenhum psiquiatra que cobra US$ 100 por hora vai consertar isso, nunca.

Muitas pessoas com sangue “O” RH-negativas no planeta também estão segurando karma do Império Draco. Alguns de vocês escolheram chegar à terra para ajudar a equilibrar esse karma. Alguns que eram sangue “O” RH-negativo mudaram para “A” RH positivo, que é o OPOSTO TOTAL para o sangue “O” RH-negativo.


Nossa equipe mundial de pesquisa, ao longo de um período de 10 anos, reuniu centenas de milhares de amostras de sangue. Estamos apenas começando a entender o que está acontecendo com os seres humanos, conforme indicado pelos tipos sanguíneos, à medida que a Terra se aproxima do Nexus.

Aqueles que têm mais dificuldade em ser os grupos sanguíneos “O” Rh- com herança alienígena (para a Terra). Eu não posso revelar neste momento exatamente como isso é feito, mas posso dizer isso, estamos em uma encruzilhada na medida em que nossa capacidade de afetar nosso mundo EXTERIOR mudando o mundo INTERNO do sangue. Cada coisa não é mais do que um reflexo do terreno interior do sangue. Como o sangue está intimamente integrado com a força vital (prana), isso explica o sentimento que temos quando trabalhamos com pessoas que têm o mesmo tipo de sangue.

Para responder as perguntas que tenho certeza, o livro Eat Right For Your Blood Typeestá correto apenas nos alimentos, mas ele não leva em consideração a história GALÁCTICA do sangue em relação à pessoa. É sobre isso que eu tenho trabalhado. No que diz respeito à sua história sobre como surgiram os diferentes grupos sanguíneos, é pura culpa. Os diferentes grupos de sangue são de diferentes partes da Galáxia. Mais disso será revelado à medida que mais uma compreensão de REAL RNA / DNA Codificação seja pesquisada.

Quando você mede os harmônicos do coração de pessoas com sangue “O” RH-neg, eles geralmente são menores se forem fumantes e comedores pesados de carne vermelha. Aqueles que comem peixe e vegetais estão na faixa normal. Esta é uma ciência muito nova e há apenas um punhado de pessoas envolvidas nesta pesquisa.

Aqui é algo para você pensar sobre: 

Há uma raça de pessoas em uma região remota da China que tem apenas 3 a 4 pés de altura (90 a 1,20 metros) e fala uma língua apenas nessa área remota. Quando eles tentam se deslocar desta região para menores elevações geológicas, ELES MORREM. A cor da sua pele é branca cinza. Seus olhos são muito pequenos, quase como fendas. 

O SISTEMA REGULADOR DE pH DO CORPO

O equilíbrio do pH da corrente sanguínea humana é reconhecido por todos os textos de fisiologia médica como um dos balanços bioquímicos mais importantes em toda a química do corpo humano.

?????????????????????????????????????????????????????????

O pH é o acrônimo de “Potencial de hidrogênio”. Em definição, é o grau de concentração de íons de hidrogênio em uma substância ou solução. É medido em uma escala logarítmica de 0 a 14. Números mais elevados significa que uma substância é de natureza mais alcalina e existe um maior potencial para absorver mais íons de hidrogênio. Os números mais baixos indicam mais acidez com menos potencial para absorver íons de hidrogênio.

O pH do nosso corpo é muito importante porque o pH controla a velocidade das reações bioquímicas do nosso corpo. Isso se faz controlando a velocidade da atividade enzimática, bem como a velocidade que a eletricidade passa pelo nosso corpo.

Quanto maior (mais alcalino) o pH de uma substância ou solução, mais resistência elétrica tem a substância ou solução. Portanto, a eletricidade viaja mais devagar com um pH mais alto. Todas as reações bioquímicas e energia elétrica (vida) estão sob controle de pH. Se dissermos que algo tem um pH ácido, estamos dizendo que é quente e rápido. Por exemplo, veja a bateria do seu carro. É uma bateria ácida. Nos dias frios você quer que esteja quente e pronto, e você quer que seu carro comece rápido.

O pH alcalino, por outro lado, com foco bioquímico, é lento e frio. Compará-lo com uma bateria alcalina em uma lanterna. Você quer que a lanterna fique legal e queime lentamente. Aqui está um exemplo de como o pH pode controlar. Olhe ao seu redor na sociedade em geral. 

Você vê pessoas ficando exaustas, queimadas e rapidamente irritadas? Você vê um aumento da violência? Em parte, isso pode ser devido ao fato de que as pessoas hoje se inclinam para um pH ácido. Como uma sociedade, estamos muito quentes e rápidos. Como chegamos lá? Nós bebemos café já pela manhã e nosso coração dispara pela cafeína. Existem cerca de 5000 fatores sanguíneos conhecidos, e todos esses fatores devem contribuir para completar o quadro. Mas o sangue Rh negativo é o lugar para começar a nossa busca.

Como você pode ver, a grande maioria das pessoas com RH negativo vem do povo basco da França e da Espanha, e então a Europa tem a segunda maior porcentagem. Podemos imaginar que o tipo de sangue RH negativo se origina na Europa e se espalhou para outros países que possuem herança de ascendência européia. Os alelos RH-recessivos (+/-) representam aproximadamente 60% dos bascos e 40% dos europeus, o que significa que uma porcentagem maior de RH + na Europa transporta a genética do RH-fator em seu DNA. 


“Ninguém tentou explicar de onde as pessoas Rh negativas surgiram. A maioria, familiarizada com os fatores sanguíneos, admite que essas pessoas devem pelo menos ser uma mutação se não descendentes de um antepassado humano diferente. Se somos uma mutação, o que causou a mutação? Por que continua com as características exatas? Por que rejeita tão violentamente o fator Rh, se fosse na sua própria ascendência? Quem foi esse antepassado? As dificuldades na determinação da etnologia são amplamente superadas pelo uso de dados do grupo sanguíneo, pois são uma única característica do gene e não são afetadas pelo meio ambiente.

O povo basco da Espanha e da França possui a maior porcentagem de sangue RH negativo. Cerca de 30% têm (rr) Rh negativo e cerca de 60% carregam um (r) gene negativo. A média entre a maioria das pessoas é de apenas 15% de -Rh negativo, enquanto alguns grupos têm muito pouco. Os judeus orientais de Israel, também têm um alto percentual de Rh negativo, embora a maioria das outras pessoas orientais tenha apenas cerca de 1% de negativa. Os samaritanos e os judeus negros de Cochin também têm uma alta porcentagem de sangue Rh negativo, embora novamente o sangue Rh negativo seja raro entre a maioria dos negros.

O povo basco também é conhecido por ter a língua falada mais antiga na Europa, e as origens da língua basca são desconhecidas. As línguas nos países vizinhos na Europa não se parecem com a língua basca, então isso se tornou um verdadeiro mistério para o linguista.

O povo celta da Irlanda e a Grã-Bretanha também têm altas incidências do fator RH- negativo e recentemente foi provado que há uma ligação genética entre o basco e os celtas. Esta pesquisa prova que o povo celta veio das regiões bascas da França e da Espanha e um grupo deve ter migrado para as ilhas da Grã-Bretanha (Nota Thoth: Ambos os povos, Celtas e Bascos tem a mesma origem, são descendentes da raça branca dos Atlantes). 

Aqui estão alguns fatos “curiosos” compartilhados por muitos dentro dos grupos de fator RH negativos (ou seja, sem parentesco com o MACACO Rhesus, o caso da maioria) :
Um sentimento de não pertencer à Terra
Pesquisadores e buscadores da verdade 
Sentido de ter uma “Missão” na vida (despertar para reconhecer sua própria divindade interior)
Empatia e Compaixão pela Humanidade 
“SABEM” que não somos os únicos no Universo 
Uma costela ou vértebra extra. 
IQ superior ao médio 
Capacidade ESP 
Amor á pesquisa e exploração espacial e às ciências 
Visão mais sensível e sentidos mais aguçados. 
Aumento das habilidades psíquicas / intuitivas 
Não pode ser clonado 
Temperatura inferior do corpo 
Pressão sanguínea mais alta (alguns dizem que são menores) 
Predominância de olhos verdes ou aveludados que mudam de cor 
Cabelos vermelhos ou de cor avermelhada 
Maior sensibilidade ao calor e à luz do sol 
Cicatrizes inexplicadas
Olhos muito penetrantes
Tendem a ser curadores
Doenças empáticas
Capacidade de interromper dispositivos elétricos
Candidato para abduções alienígenas
Experimentação de fenômenos inexplicáveis

Link para mais informações AQUI.


“DOENÇA da REALEZA”

Os fornecedores globais de sangue conseguiriam infectar ou matar 90% dos doentes hemofílicos no mundo, fornecendo-lhes sangue contaminado. Se Hemofilia é uma “Doença Real”, ai de gerações de meninos, que não poderiam ser rei. Em todo o mundo, mais de 120.000 homens, mulheres e meninos … um verdadeiro “holocausto genético” … agora estão infectados com HIV em todo o mundo … devido a transfusões de sangue contaminadas. Pelo menos 25.000 já morreram.

Em algumas áreas, o fator de sangue Rh-Negativo é referido como “Blood Royale” ou “Royal Blood” (ou Sangue Real, da realeza). Durante séculos, a realeza européia foi infligida com hemofilia ou “doença de sangramento”. Aparentemente, a rainha Victoria era uma “portadora” da hemofilia e passou a doença a todos os seus filhos que depois se casaram e infectaram as linhagens da realeza na Europa durante os anos 1800 e 1900.

Como resultado direto, a Hemofilia tornou-se conhecida como “Doença Real”. Para manter isso em perspectiva, apenas 5% de todas as pessoas da “realeza” (reptiliana) europeia têm sangue negativo com fator Rh- … o que significa “um percentual AINDA MENOR do que a população em geral”. Isso indicaria que a grande maioria dos “governantes” e “monarcas” NÃO tem sangue com fator RH negativo, suas linhagens tem descendência, na sua grande maioria, com o macaco Rhesus. Isso foi por acaso? Ou foi por engenharia genética chamada “casamentos arranjados”?

Para todos os fins práticos, o grupo cultural com as taxas mais altas de sangue Rh-negativo são os “berberes” do Marrocos, no norte da África. Em um meme anterior, eu indiquei que a maior concentração de Rh-Factor Negative era do Iraque. Parece que os bereberes podem ter se originado há milhares de anos, desde a fronteira da Síria e do Iraque (e isto nos leva à antiga SUMÉRIA e os ANUNNAKI).

Se a realeza européia não está disposta a casar entre si com indivíduoa fator Rh-Negativo, pode ser porque eles estão evitando a linhagem de ascendência “árabe” (SUMÉRIA)? Não vamos nos antecipar a nós mesmos. Parece que os fatores bascos do tipo sanguíneo Rh-negativo provêm de antigos marinheiros berberes já em 8000 a.C.! Talvez, muitas das “pinturas rupestres” possam ser atribuídas a “estranhos” de grande habilidade artística que migraram para a área.

A “hiper-criatividade” é um “sintoma” do sangue Rh-Negativo? Artistas? Animadores? Quem sabe … mas se a realeza europeia se recusar a se casar com a linhagem de sangue de fator RH negativo significa uma coisa … As pessoas Rh-Negativos são uma “linhagem real concorrente e mais evoluída”.

Como você se livra deles, os de fator RH negativo, sem conexão com os macacos Rhesus, de uma vez por todas? Embora os britânicos adorem que você pense que sua rainha (reptiliana) Victoria foi a primeira portadora do mundo … não se confunda. Ela tinha era a doença dos (diabólicos) Habsburgos. Victoria era uma Habsburg?

O lema não oficial da família Habsburgo era “Bella gerunt alii, tu, felix Áustria, nubes!” (“Onde outros devem lutar contra as guerras, você, afortunada Áustria, se casara!). É curioso que o “casamento” possa ser uma determinação “dinástica”, mas também pode ser uma forma perversa de “guerra biológica” ou “guerra genética”. Na verdade, a doença era muito mais antiga.
Abu al-Qasim Al-Zahrawi, cirurgião árabe

O “Pai da Cirurgia” foi o médico árabe El Zarhawi ou Albucasis, 936-1013. Albucasis em seus escritos Kitab al-Tasrif, Uma verdadeira enciclopédia de trinta volumes de práticas médicas, descreveu uma família onde apenas os homens morriam de perda de sangue após uma lesão da mais trivial. Seu nome completo era Abul Qasim Khalaf ibn al-Abbas al-Zahravi, ele nasceu na cidade de El-Zahra, a 8 quilômetros a noroeste de Córdoba, na Andaluzia, a capital da Espanha muçulmana. Como sabemos da história, Zahra competiu em grandeza e magnificência com Bagdá. Al-Zahravi serviu na qualidade de médico da corte ao rei Al-Hakam-II da Espanha. Após uma carreira médica longa e distinta, ele morreu em 1013 CE 

Como inventor de muitos instrumentos cirúrgicos, Al-Zahravi é famoso por desenvolver instrumentos para exame interno da orelha, inspeção interna da uretra e para aplicar ou remover corpos estranhos da garganta. Ele introduziu novos procedimentos como a cauterização de feridas, esmagar pedras dentro da bexiga, a vivissecção e a dissecação.

Ele aplicou o procedimento de cauterização a até 50 operações diferentes. Além disso, Al-Zahravi discutiu a preparação de medicamentos e a aplicação de técnicas como sublimação e decantação. Ele prescreveu o uso de diuréticos, sudoríferos, purgativos, absorção de vinho puro e banhos quentes. Al-Zahravi foi o primeiro a apresentar descrição detalhada da hemofilia e foi o primeiro a utilizar fio de seda para fechar (suturar) cortes profundos e feridas abertas.

Então, você começa a perguntar se o bom médico estava tratando uma família “árabe” na Espanha mourisca (dos Mouros) para a doença hemofílica. Então você começa a se perguntar exatamente onde um suposto sangue “azul” (mas “estragado’) como o sangue HEMOFÍLICO da rainha Victoria, onde ela conseguiu sua “doença de ascendência árabe” ??? Era uma doença da realeza (muçulmana) espanhola?

Em outras palavras, o casamento entre as filhas de Victoria era uma forma de matar ou enfraquecer os futuros reis “não-Habsburgos” … já que principalmente os homens apenas contraem a doença herdadas de suas mães? Ainda assim, a Hemofilia estava infectando a realeza europeia muito antes da rainha Victoria.

As infectadas filhas da rainha Victoria passaram a doença para as linhagens das casas reais espanhola, alemã e russa e ameaçaram os tronos de todas as grandes potências da Europa. Parece que a rainha Victoria é, na verdade, uma descendente direta de Fernando de Castilla, que retomou dos mouros a cidade de Castela em 1236, onde o cirurgião Abulcasis aconselhou o rei Hakam II sobre uma família com filhos que morriam facilmente por lesões banais por causas sanguíneas.

A maioria não sabe que os indivíduos com sangue “O” e fator RH-Negativo, são rastreados ao longo de toda a sua vida por agências governamentais mundiais interessadas em “entender a gênese desse grupo” e para outros fins societários mais complexos. (Siga esta linha de pensamento no novo material a ser postado como uma continuação de Journey to the Absolute Elsewhere)
ALGUMAS PERSONALIDADES FAMOSAS COM FATOR SANGUÍNEO RH NEGATIVO:
Nikola Tesla. Um cientista croata mais famoso por seu trabalho em corrente alternada, o motor de indução, a bobina de Tesla, etc. I2a-Din-S L147.2 +
Douglas-Hamilton Esta linha inclui os Dukes of Hamilton e Condes of Selkirk. O seu representante mais famoso é talvez Douglas-Hamilton, 14º duque de Hamilton , um nobre escocês famoso por se tornar o piloto-chefe do primeiro vôo sobre o Monte Everest, bem como para seu posterior envolvimento com o nazista Rudolf Hess. Alguns outros famosos Douglas-Hamiltons incluem a mumificação e entusiastas da arte Alexander Hamilton, 10º duque de Hamilton e o influente James Hamilton, 4º duque de Hamilton. Além disso, a família reivindica descendência dos Earls (Condes) of Angus, embora alguns requerentes concorrentes tenham testado de forma diferente. I2-M223-Isles-E L1193 +
Douglas, Earls (Condes) of Angus 12a2a
A casa real dos Stewart – Royal House of Stuart (Stuart ), é uma casa real europeia. Fundada por Robert II da Escócia, os Stewarts tornaram-se monarcas do Reino da Escócia no final do século 14 e posteriormente ocuparam a posição dos Reis da Inglaterra, da Irlanda e da Grã-Bretanha. I2a2a
Sir Henry Clinton 1730-1795, general britânico, um dos principais participantes da guerra pela independência americana do lado britânico, pertenceu ao haplogroup I2a2 M223 L1193
Davy Crockett, 1786-1836, político americano e aventureiro com um Oeste Selvagem pertenciam ao haplogrupo M223 Z76
William Wallace(? -1305 – Representado por Mel Gibson, no filme Bravehearth (Coração Valente), que conta a sua história, ao lutar ao lado de Robert, the Bruce, ajudando-o a se transformar em rei da Escócia) um lutador escocês para a independência como membro do Clã Wallace provavelmente pertencia ao haplogroup I2c L59


“A exposição à verdade muda a tua vida, ponto final – seja essa verdade uma revelação sobre a honestidade e integridade pessoal ou se for uma revelação divina que reestrutura o teu lugar no Universo. Por esse motivo é que a maioria (a massa ignorante do Pão e Circo) das pessoas foge da verdade, em vez de se aproximar dela”. {Caroline Myss}

“O medo é a emoção predominante das massas que ainda estão presas no turbilhão da negatividade da estrutura de crença da (in)consciência de massa. Medo do futuro, medo da escassez, do governo, das empresas, de outras crenças religiosas, das raças e culturas diferentes, e até mesmo medo da ira divina. Há aversão e medo daqueles que olham, pensam e agem de modo diferente (os que OUVEM e SEGUEM a sua voz interior), e acima de tudo, existe medo de MUDAR e da própria MUDANÇA.” – Arcanjo Miguel

Muito mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.